Deformabilidade de solos saturados sob tensões …pi/cursos/GEO45/GEO-45 - 2010...

Click here to load reader

  • date post

    28-Dec-2019
  • Category

    Documents

  • view

    1
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Deformabilidade de solos saturados sob tensões …pi/cursos/GEO45/GEO-45 - 2010...

  • IG287

    Deformabilidade de solos saturados sob tensões cisalhantes, em

    condições drenadas Resistência ao cisalhamento

  • Ensaios sob tensões cisalhantes

    -ensaio de cisalhamento direto-ensaio de cisalhamento puro-ensaio triaxial

  • Trajetória de Tensões

  • Ensaios tensão-deformação

  • Ensaio de cisalhamento diretoN

    T

    u(mm)

    τ (kN/m2)

  • Corpos de prova: 5cm φ, 10x10cm, 30x30cm...

  • Cisalhamento direto

    -plano de ruptura predefinido-efeito de borda acentuado (tamanho da caixa)-condições de drenagem afetadas por velocidade de ensaio mas sem controle total

    -Aplicação para características de interface-Aplicação para solos com planos preferenciais de escorregamento –anisotrópicos-Ensaio simples e de baixo custo-Comportamento em grandes deformações

  • Cisalhamento direto para grandes deformações

  • Ensaio de cisalhamento puro

    Dificil execução

  • Ensaio Triaxial

  • Ensaio Triaxial

  • Ensaios com uma das tensões principaistotais constantes

    trajetórias p

    q

    p

    q

    Compressão axial

    p

    q

    p

    q

    45o

    Expansão axial

    Expansão lateral

    Compressão lateral

  • Trajetória controlada

    p

    q

  • Resistência ao cisalhamento

    envoltória de resistência

  • Ensaio de cisalhamento diretoO ensaio indica a tensão normal ao plano de ruptura e a máxima tensão cisalhante neste plano

    τ (kN/m2)

    u(mm)σna

    σnc

    σnb

    σ

    τ

    envoltória

  • Resistência ao cisalhamentoensaio triaxial

    τ

    σ

    Envoltória de resistência

  • σ

    Envoltória de resistência

    Mohr Coulomb: τ = c + σ tg φc e φ – parâmetros da reta adotada como envoltória

  • p

    Reta de ruptura

    qq = a + p tg α

    senφ = tg α

    a = c/ cos α

  • Efeito da tensão confinante

    εv(%)

    σv , ∆σv, σ1-σ3, σ1/σ3

    σ3

  • Comportamento em deformabilidade

  • Comportamento em compressão axial

    Índice de vazios

    εv

    Variaçãovolumétrica

    resistência

    Solos granulares

  • Solos argilosos

  • Efeito do descarregamento

  • Efeito de cargas cíclicas

  • Modulo de deformabilidade

    εv

    ∆σvEto – módulo tangente inicial

    ∆σ/∆ε

    x

    E sec x% de deformação

    Módulos secantes em relação a uma porcentagem de deformação ou a uma porcentagem da tensão de ruptura

  • Ensaios triaxiais em condição drenada

    Tensão total = tensão efetiva -> u=0

    p

    q Reta de ruptura

  • u constante

    p

    q

    u

    Garantia de u positivo mesmo em condições dilatantes

    Reta de ruptura

  • Ensaios em condições não drenadasCorpos-de-prova que variam de volume implicam em variação da pressão de poros:

    Dilatância u diminue

    Compressão u aumenta

  • Ensaio triaxial consolidado não drenado

    Drenagem na fase de consolidação -> σc=σ’c

    u>0

    u

  • Ensaio triaxial não consolidado não drenado

    UIU

    σc ≠ σ’c

    p

    q