Pr. Esdras C. Guimar£es Jr.. Introdu§£o ao Estudo da Psicologia A metaf­sica...

download Pr. Esdras C. Guimar£es Jr.. Introdu§£o ao Estudo da Psicologia A metaf­sica (do grego antigo ¼µ„± (met ) = depois de, al©m de; e ¦…ƒ¹‚

of 17

  • date post

    22-Apr-2015
  • Category

    Documents

  • view

    104
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Pr. Esdras C. Guimar£es Jr.. Introdu§£o ao Estudo da Psicologia A metaf­sica...

  • Slide 1
  • Pr. Esdras C. Guimares Jr.
  • Slide 2
  • Introduo ao Estudo da Psicologia A metafsica (do grego antigo (met) = depois de, alm de; e [physis] = natureza ou fsica) uma das disciplinas fundamentais da filosofia.grego antigo Objetivo deste livro... Trataremos o homem como ser Bio-Psico-Social. Biolgico, Fsico, fisiolgico, etc. Indivduos tm necessidades, desejos, emoes, cognio, motivao, etc... Relaes interpessoais, valores sociais, cultura, etc... Paginas de 9 a 26
  • Slide 3
  • Objeto de estudo da Psicologia Cincia que se concentra no Comportamento e nos processos mentais CinciaComportamentoProcessos mentais As primeiras tentativas de sistematizar o conhecimento sobre a alma humana foram realizados por volta de 700 anos a.C. Pelos filsofos gregos.
  • Slide 4
  • Scrates (Sec. 469/399 a.C.) Principal caracterstica do humano, a razo... a diferena do animal irracional. Na antiguidade...
  • Slide 5
  • Plato (427/347 a.C.) O lugar da razo estava na cabea e a medula a ligao mente e corpo; a imortalidade da alma e separada do corpo; Idealismo Platnico : A Realidade Mundo dos sentidos 5 sentidos, Mundo das ideias - Razo
  • Slide 6
  • Aristteles (387/322 a.C.) Corpo e mente so integrados e a psique o princpio ativo da vida; mortalidade da alma, pois esta, pertencente ao corpo; Para ele a realidade consiste em vrias coisas isoladas, que representam uma unidade de forma e substancia. A substancia o material de que a coisa se compe. A forma so as caractersticas peculiares da coisa. Outra teoria importante a relao de causa e efeito na natureza, ou seja, toda ao produz uma reao... Tudo existe por uma determinada causa.
  • Slide 7
  • Na idade mdia... Neste perodo h a aceitao de concepes Aristotlicas incluindo-as no pensamento cristo. Santo Agostinho (400 d.C.) atribui a mxima certeza experincia interior, o que o torna o homem consciente de si mesmo e de sua individualidade. Santo Tomaz de Aquino (1225-1274 d.C.) escreve e discute o problema fundamental da natureza da alma e sua relao com o corpo. Mestre Eckhart estabeleceu a diferena entre o mundo externo de conhecimentos naturais e o mundo interno de experincia religiosa, baseando- se nas faculdades afetivas
  • Slide 8
  • Na idade moderna... Ruptura entre cincia e religio
  • Slide 9
  • A idade contempornea... No seculo XIX aparecem as primeiras escolas de psicologia; Comea o rompimento entre filosofia e psicologia; W. M. Wundt abre o primeiro laboratrio formal de psicologia em 1879; Principais escolas... Behaviorismo ao fim do sculo 19 por J. B. Watson todo o comportamento decorrente de estmulos que o indivduo recebe do meio social que vive, ou seja, o indivduo fruto do meio que vive. Gestalt Questionou o Behaviorismo sobre a relao causa e efeito ou estmulo resposta, pois nem todos responderiam como os Behavioristas acreditam. Existe o processo de percepo.
  • Slide 10
  • Psicanlise Freud, trazendo conceitos sobre a sexualidade humana; a existncia de consciente, pr-consciente e o inconsciente... Bem como a estrutura da personalidade composto de trs partes: Id, Ego e Superego.
  • Slide 11
  • Na Viso Bblica, Personalidade... A alma a sede da vida intelectual, emocional, volitiva e espiritual do homem (Hb. 4:12; 4:7 e Mt. 22:37) Intelecto a parte pensante da alma. Ela capaz de conferir sentido, limites, ordem, inteligncia, entendimento... a faculdade cognitiva, ou seja, pensamento, raciocnio, julgamento, compreenso, conhecimento e distino entre o bem e o mal, como tambm a manifestao da imaginao, memria e razo. Sentimento Aptido para sentir... Disposio para comover ou se impressionar; sensibilidade, Afeto, Amor, Tristeza, Pesar, Dor, Prazer. o que faz do ser humano um ser emotivo e no insensvel.
  • Slide 12
  • Vontade - Volio, faculdade do querer, do desejo, capacidade de escolha, arbtrio. A vontade no atua sozinha, tem a influncia do intelecto e das foras emotivas da alma. Conscincia a marca da criao de Deus (Rm. 2:15). Ela no esta sujeita a vontade e nem aos sentimentos e capaz de aprovar ou desaprovar as aes do homem. Por meio dela que Deus revela sua vontade ao homem.
  • Slide 13
  • Personalidade o conjunto de caractersticas psicolgicas que determinam os padres de pensar, sentir e agir, ou seja, a individualidade pessoal e social de algum. A formao da personalidade processo gradual, complexo e nico a cada indivduo. A origem da expresso remete-nos para persona, "mscara" utilizada no teatro grego para representar as emoes dos atores. Efeito ExternoEstrutura InternaOpinio Positivista Pag. 21
  • Slide 14
  • Pag. 23 o termo que designa o aspecto da personalidade responsvel pela forma habitual e constante de agir peculiar a cada indivduo; esta qualidade inerente somente a uma pessoa, pois o conjunto dos traos particulares, o modo de ser desta; sua ndole, sua natureza e temperamento. O conjunto das qualidades, boas ou ms, de um indivduo lhe determinam a conduta e a concepo moral; seu gnio, humor, temperamento; este sendo resultado de progressiva adaptao constitucional do sujeito s condies ambientais, familiares, pedaggicas e sociais. Carter a soma de nossos hbitos, virtudes e vcios.personalidade
  • Slide 15
  • O temperamento influencia o modo de perceber as coisas, as escolhas e a forma de se relacionar com outras pessoas.
  • Slide 16
  • Slide 17
  • Consciente / Pr-consciente / Inconsciente A alma ou Personalidade na Viso Bblica Formao da Personalidade : O que ? Efeito externo. Estrutura interna. O que ? Efeito externo. Estrutura interna. Personalidade e Carter Temperamentos, sua teoria e variaes