Filosofia 10ºano1

Click here to load reader

  • date post

    23-Jun-2015
  • Category

    Documents

  • view

    95
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Filosofia 10ºano1

  • 1. ilosofia 10 Ano

2. 10 Ano Embora os meus olhos sejam os mais pequenos do mundo O que importa que eles vejam o que os homens so no fundo. Eu no tenho vistas largas Nem grande sabedoria, Mas do-me as horas amargas Lies de filosofia. Antnio Aleixo 3. O que a Filosofia? Aproximao etimolgica Aproximao simblica Friso cronolgico Sugestes bibliogrficas 4. Aproximao etimolgica Este termo formado a partir de duas palavras gregas, philia e sophia. A primeira significa amor ou amizade e a segunda, sabedoria. Somando os dois significados ficamos com a expresso, um tanto ou quanto cor-de-rosa, "amor sabedoria ". atribuda a Pitgoras a paternidade do termo Filosofia; Scrates considerado o pai da atitude filosfica. 5. Aproximao simblica - A AVE DE ATENA o mais antigo smbolo da Filosofia e da sabedoria. Atena, deusa da sabedoria e da fecundidade, aparecia associada, na mitologia grega, coruja (ou mocho), cuja nota distintiva a de andar vigilante e activa pela calada da noite. Simboliza a reflexo filosfica e o sbio. 6. Aproximao simblica - A ESCOLA DE ATENAs Um outro grande smbolo da Filosofia a Escola de Atenas, do pintor italiano Rafael, cujas figuras centrais so Plato e Aristteles. Plato, apontando para o alto, parece dizer, que prprio do ser humano elevar- se acima das terrestres preocupaes e contemplar valores espirituais, estticos, morais, polticos,... Aristteles, estendendo o brao, com a palma da mo voltada para baixo, parece indicar que o ser humano daqui! smbolo do dilogo que se trava na histria da Filosofia. 7. Aproximao simblica - O PENSADOR DE RODIN Um terceiro smbolo da Filosofia a esttua do escultor francs Rodin, denominada O Pensador. Smbolo da atitude reflexiva que particulariza a Filosofia. 8. Parmnides de leia - (c.515 - 440 a.C.) Parmnides nasceu em leia. Pertenceu a uma comunidade pitagrica. Foi o fundador da escola Eleata e o criador da Metafsica. Todo o seu pensamento um rigoroso ataque ao senso comum, procurando eliminar do conhecimento tudo o que varivel e contingente. Obras: Escreveu o poema filosfico "Sobre a Natureza" em trs partes: a introduo(ou promio), a "via da verdade" e a "Via da opinio". Ao todo restam-nos 150 versos. 9. Scrates- (470-399 a.C) Figura emblemtica do filsofo, imortalizado em inmeras obras. Nasceu em Atenas, filho de Sofronisco, escultor e de Fenreta (Fenarete), de ofcio parteira. Ter recebido uma educao tradicional, isto , ginstica e msica. No escreveu nenhuma obra, porque atribua pouco importncia escrita. A filosofia socrtica apresenta-se como uma atitude de permanente procura do Saber, aliada a um compromisso com esse mesmo Saber. 10. S.Toms de Aquino - (1226-1274) Filsofo e telogo italiano. A sua obra marca uma etapa fundamental na escolstica. Conclui o trabalho de Alberto Magno. Ficou conhecido como o doutor anglico. Em 1879, as suas obras foram reconhecidas como sendo a base da teologia catlica. A filosofia de Toms de Aquino conhecida como Tomismo. Obras: Exposio sobre o Credo; O Ente e a Essncia (1248-1252); Compndio de Teologia (1258-1259); Suma Contra os Gentios; Comentrio s Sentenas; Suma Teolgica; ... 11. Erasmo de Roterdo - (1466-1536) Nasceu em Roterdo. Estudou Teologia na Holanda e Paris, tendo-se doutorado em Turim. Foi um dos grandes expoentes do humanismo renascentista defendendo o livre-arbitrio. Escreveu a conhecida obra, o Elogio da Loucura. Obras: Erasmo - Elogio da Loucura. Lisboa. Guimares Editores.1970 Erasmo Civilidade Pueril. Lisboa. Estampa. 1978 Erasmo - A Guerra e a Queixa da Paz.Lisboa.Ed.70.1995 12. Maquiavel- (1469-1527) Figura emblemtica do renascimento, do poltico e do pensador. Entre 1498 e 1512 teve em Florena uma intensa actividade poltica, aps o que se dedicou a escrever as obras que mudaram o pensamento poltico : O Princpe (1513) e Discursos sobre os Primeiros Dez Livros de Tito Lvio (1513- 1517). 13. Ren Descartes - (1596 - 1650) Pai da filosofia moderna. Desenvolveu um mtodo de dvida radical, que constitui a base da sua filosofia. Colocou em causa todo o saber adquirido pela experincia. Desenvolveu uma cincia universal. Foram notveis as suas contribuies para a matemtica, sendo considerado um dos criadores da geometria analtica. Obras: Regras para a Direco do Esprito (incompletas. Escritas por volta de 1628 e publicadas em 1701); Discurso do Mtodo (1637),Meditaes Metafsicas (1640);Os Princpios da Filosofia (1644) Certeza indubitvel: a da sua existncia como ser pensante "Penso, logo existo" 14. Jean - Jacques Rousseau - (1712-1778) Denuncia os crimes da civilizao e as injustias que foram sendo estabelecidas entre os homens. Sustenta a necessidade de um retorno natureza, fundado no reconhecimento da igualdade dos direitos naturais dos homens. "Tudo est bem ao sair das mos do autor das coisas; tudo degenera entre aos mos do homem. Principal obra: "O Contrato Social" (1762) que contribuiu para a formao de um pensamento poltico revolucionrio. 15. Bento Espinosa - (1632-1677) Filosofo holands. Filho de um mercador judeu portugus exilado em Amesterdo. Devido s suas ideias foi excomungado da Sinagoga. A sua filosofia funda-se numa concepo pantesta da realidade, na qual se identifica Deus e com a Natureza. Nega a imortalidade da alma e a natureza pessoal de Deus. Rejeitou o Livre-arbtrio. Edies e Comentrios: Espinosa - tica.Lisboa. RelgioD`gua. 1992 Espinosa - Tratado Teolgico-Poltico. Lisboa.IN-CM.1988 Espinosa - Tratado da Reforma do Entendimento.Lisboa.Edies 70. Espinosa - Tratado da Reforma do Entendimento.Lisboa.Livros Horizonte.1971 Espinosa - Tratado da Reforma da Inteligncia. So Paulo.Comp.Editora Nacional.1966 16. John Locke - (1632-1704) Viveu numa poca de profundas transformaes intelectuais, cientficas e polticas: o tempo que vai de Galileu a Isaac Newton. Todos os direitos de humanidade e de cidadania devem ser conservados como sagrados. 17. Immanuel kant - (1724-1804) Nasceu, viveu e morreu em Konisberg, uma cidade da Prssia Oriental (Alemanha). Recebeu uma educao pietista. A obra de Kant pode ser dividida em dois perodos fundamentais: o pr-crtico e o critico. Obras: Pensamentos sobre o verdadeiro valor das foras vivas (1747),; Monodologia Fsica (1756); Meditaes sobre o Optimismo (1759); Crtica da Razo Prtica (1788); Crtica da Faculdade de Julgar (1790); 18. F. Nietzsche - (1844-1900) Marcou uma profunda ruptura na cultura ocidental. Critico da racionalidade imperante, afirmou a primazia de tudo aquilo fora recalcado, como a vida instintiva. Ope-se a todas as ideias igualitaristas, humanitaristas e democrticas. A libertao do homem exige um combate sem trguas contra a moral dos escravos Uma das obras mais conhecidas : A Origem da Tragdia (1871) 19. Freud - (1856-1939) Revolucionou o modo de encarar a mente humana e o nosso comportamento. Foi o criador da Psicanlise. Recebeu em 1930 o Prmio Goethe. Afirmou a existncia de trs nveis de actividade psquica: o consciente, o pr- consciente e o inconsciente. A Psicanlise designa vrias coisas: - Mtodo de explorao do psiquismo, em particular do inconsciente. - Teraputica no tratamento de histerias e neuroses. - Corrente muito diversificada da psicologia que se afirma continuadora de obra de Freud. Obras: Interpretao dos Sonhos (1900); Para Alm do Princpio do Prazer (1920); O Futuro de uma Iluso (1927); 20. Gaston Bachelard - (1884-1962) Para alm de filsofo, crtico e epistemlogo, era cientista e poeta. Bachelard desenvolve uma reflexo muito diversificada sobre a cincia. A sua ideia principal que no futuro o conhecimento se basear na negao do conhecimento actual.Alguns conceitos inovadores: 1. Desfasamento. 2. Novo esprito cientfico. 3. Rupturas. Podemos pois colocar a descontinuidade epistemolgicaem plena luz. (...) A prpria linguagem da cincia est em estado de revoluo semntica permanente". Bachelarad, Materialismo Racional 21. Jean-Paul Sartre - (1905-1980) Sartre foi um dos filsofos mais emblemticos da 2. metade do sculo XX. Foi um dos principais criadores do existencialismo, destacando-se tambm como romancista, dramaturgo e activista poltico. Ao longo da sua vida, foi acusado inmeras vezes de assumir posies contraditrias com as suas prprias ideias. Obras O Ser e o Nada(1943); O Existencialismo um Humanismo(1946); Crtica da Razo Dialctica(1960), primeiro tomo); 22. Ludwig Wittgenstein - (1889-1951) Wittgenstein um pensador incontornvel no sculo XX. Editou uma obra - Tratado Lgico- Filosfico. Procurou preservar o mistrio da vida e o que as palavras se revelam incapazes de descrever. A funo da linguagem descrever a realidade, porque em rigor nada pode ser dado fora da linguagem. A filosofia uma actividade de anlise da linguagem. "Os limites da minha linguagem significa os limites do mundo. 23. Edmund Husserl - ( 1859 -1938) Husserl foi o criador da fenomenologia. Props-se criar uma filosofia baseada no estudo sistemtico da conscincia e dos seus objectos mentais. A obra de Husserl impressionante quer pela sua profundidade, quer pela sua extenso. Quando morreu deixou cerca de 45.000 pginas manuscritas!! Obras Sobre o Conceito de Nmero (1887); Filosofia da Aritmtica (1891); Investigaes Lgicas ; A Filosofia como Cincia de Rigor (1910); Meditaes Carteseanas (1931); 24. Bertrand Russell - (1872-1970) Filsofo e escritor ingls, que ao longo da sua vida aliou sempre a interveno social com a reflexo filosfica. Foram notveis os seus contributos no domnio da lgica, filosofia da matemtica e Filosofia da linguagem. Obras Princpio Mathematica (1910, em colaborao com Whitehead); Problemas da Filosofia (1911); O Nosso Conhecimento do Mundo Externo (1914); Introduo Filosofia da Matemtica; 25. Sugestes Bibliogrficas Dagognet, F - 100 Palavras para Comear a Filosofar. Lisboa. Ed. Teorema. 2002 Deleuze, G.; Guattari - O Que a Filosofia? Lisboa. Prese