A n£o t£o pequena introdu§£o ao latex

download A n£o t£o pequena introdu§£o ao latex

of 150

  • date post

    06-Jun-2015
  • Category

    Documents

  • view

    1.022
  • download

    6

Embed Size (px)

description

Uma excelente obra sobre o LaTeX

Transcript of A n£o t£o pequena introdu§£o ao latex

Uma no to pequena a a A introduo ao L TEX 2 caA Ou LTEX 2 em 136 minutos

por Tobias Oetiker Hubert Partl, Irene Hyna e Elisabeth Schlegl

Traduo portuguesa por Alberto Simes ca o Verso 4.14, 10 de Abril de 2004 a

iiDireitos de Cpia 1995-2002 por Tobias Oetiker e por todos os Colaboradores o do LShort. Todos os direitos reservados. Este documento gratuito; pode redistribui-lo e/ou modic-lo dentro dos tere a mos da Licena Pblica e Genrica GNU, tal como publicada pela Fundao do c u e ca Software Livre, verso 2 da licena, ou (na sua opinio) qualquer verso mais rea c a a cente. Este documento distribu na esperana de que seja util mas SEM QUALe do c QUER GARANTIA, nem mesmo a garantia impl cita de ENQUADRAMENTO PARA UM FIM PARTICULAR. Veja a Licena Pblica e Genrica GNU para c u e mais detalhes. Deve ter recebido uma cpia da Licena Pblica e Genrica GNU juntamente o c u e com este documento; caso contrrio, escreva para Free Software Foundation, Inc., a 675 Mass Ave, Cambridge, MA 02139, USA.

Obrigado!Muito do material utilizado nesta introduo provm de uma introduo ca e ca A X 2.09 escrita em alemo por: austr aca ao L TE a Hubert Partl Irene Hyna Zentraler Informatikdienst der Universitt fr Bodenkultur Wien a u Bundesministerium fr Wissenschaft und Forschung Wien u

Elisabeth Schleglin Graz

Se est interessado no documento alemo, pode encontrar a verso aca a a A tualizada para L TEX 2 por Jrg Knappen a partir de o CTAN:/tex-archive/info/lshort/german

iv

Obrigado! Durante a preparao deste documento pedi comentrios em comp.text.tex. ca a Recebi bastantes respostas. As seguintes pessoas ajudaram com correces, co sugestes e material para melhorar este documento. Colocaram grande emo penho para me ajudar a colocar este documento na sua presente forma. Gostaria de agradecer sinceramente a todos eles. Naturalmente, todos os erros que encontrar neste livro so meus. Se encontrar alguma palavra que a esteja escrita correctamente, deve ter sido uma das pessoas abaixo que me enviou essa linha.Rosemary Bailey, Marc Bevand, Friedemann Brauer, Jan Busa, Markus Brhwiler, Pietro Braione, David Carlisle, Jos Carlos Santos, u e Neil Carter, Mike Chapman, Pierre Chardaire, Christopher Chin, Carl Cerecke, Chris McCormack, Wim van Dam, Jan Dittberner, Michael John Downes, Matthias Dreier, David Dureisseix, Elliot, Hans Ehrbar, Daniel Flipo, David Frey, Hans Fugal, Robin Fairbairns, Jrg Fischer, Frank Fischli, Erik Frisk, o Mic Milic Frederickx, Frank, Kasper B. Graversen, Arlo Griths, Alexandre Guimond, Cyril Goutte, Greg Gamble, Andy Goth, Neil Hammond, Rasmus Borup Hansen, Joseph Hilferty, Bjrn Hvittfeldt, Martien Hulsen, o Werner Icking, Jakob, Eric Jacoboni, Alan Jerey, Byron Jones, David Jones, Johannes-Maria Kaltenbach, Michael Koundouros, Andrzej Kawalec, Alain Kessi, Christian Kern, Sander de Kievit, Kjetil Kjernsmo, Jrg Knappen, o Flori Lambrechts, Maik Lehradt, Rmi Letot, Johan Lundberg, Alexander Mai, e Martin Maechler, Hendrik Maryns, Aleksandar S Milosevic, Henrik Mitsch, Claus Malten, Kevin Van Maren, Philipp Nagele, Richard Nagy, Lenimar Nunes de Andrade, Manuel Oetiker, Urs Oswald, Demerson Andre Polli, Maksym Polyakov Hubert Partl, John Reing, Mike Ressler, Brian Ripley, Young U. Ryu, Bernd Rosenlecher, Chris Rowley, Risto Saarelma, Gilles Schintgen, Hanspeter Schmid, Craig Schlenter, Baron Schwartz, Christopher Sawtell, Miles Spielberg, Georey Swindale, Laszlo Szathmary, Boris Tobotras, Josef Tkadlec, Scott Veirs, Didier Verna, Fabian Wernli, Carl-Gustav Werner, David Woodhouse, Chris York, Fritz Zaucker, Rick Zaccone, e Mikhail Zotov.

Adicionalmente, o tradutor agradece o contributo das seguintes pessoas:Paulo Rocha, Jos Alves Castro, Jos Pedro Oliveira. e e

Prefcio aA O L TEX [1] um sistema tipogrco, bastante adequado para produzir e a documentos cient cos e matemticos de grande qualidade tipogrca. O a a sistema igualmente adequado para produzir todo o tipo de outros docue A mentos, desde simples cartas at livros completos. O L TEX usa o TEX [2] e como sistema de formatao. ca A Esta pequena introduo descreve o L TEX 2 , e deve ser suciente para ca A X. Consulte [1, 3] para uma desum grande nmero das aplicaes do L TE u co A crio completa do sistema L TEX. ca A O L TEX est dispon para quase todos os computadores, desde o PC e a vel Mac at grandes sistemas UNIX e VMS. Em muitas redes de computadores e A de universitrios, ir descobrir que uma instalao do L TEX est dispon e a a ca a vel pronta a ser utilizada. Informaes sobre como aceder ` sua instalao local co a ca A do L TEX deve estar inclu no Local Guide [4]. Se tiver problemas quando da comear a trabalhar, pergunte ` pessoa que lhe deu este livro. O mbito c a a A X, mas endeste documento no explicar como instalar e preparar o L TE a e sinar a escrever os seus documentos de forma a que possam ser processados A pelo L TEX.

Esta introduo est dividida em 6 cap ca a tulos:A O Cap tulo 1 indica a estrutura bsica de um documento L TEX 2 . Aprena A der tambm um pouco da histria do L TEX. Aps a leitura deste a e o o A cap tulo, dever ter uma ideia bsica do funcionamento do L TEX. a a

O Cap tulo 2 apresenta com algum detalhe como escrever um documento. Explica igualmente a maior parte dos comandos e ambientes essenciais A do L TEX. Aps a leitura deste cap o tulo, estar pronto a escrever o seu a primeiro documento.A O Cap tulo 3 explica como escrever frmulas com o L TEX. Mais uma vez, o numerosos exemplos ajudaro a perceber como usar uma das maiores a A potencialidades do L TEX. No nal deste cap tulo, encontrar tabelas a A com listas de todos os s mbolos matemticos dispon a veis em L TEX.

O Cap tulo 4 explica a gerao de ca ndices e bibliograas, incluso de grcos a a EPS, e algumas outras extenses uteis. o

vi

Prefcio aA Chapter 5 mostra como usar o L TEX para criar grcos. Em vez de dea senhar uma imagem usando um qualquer programa grco, gravar o a A X, pode descrever a gura de forma desenho e incluir o cheiro no L TE A a que o L TEX a desenhe.

O Cap tulo 6 contm alguma informao potencialmente perigosa sobre e ca A como fazer alteraes aos formatos standard produzidos pelo L TEX. co A Mostrar como modicar coisas de modo que o belo resultado do L TEX a comece a car bastante mau. E importante ler os cap tulos sequencialmenteanal o livro no assim a e to grande. Leia cuidadosamente os exemplos, porque grande parte da ina formao est contida nos vrios exemplos que vai encontrar ao longo do ca a a livro.A Se precisar de mais algum material relacionado com o L TEX d uma vista de e olhos a um dos arquivos ftp do Comprehensive TEX Archive Network (CTAN). Podem ser encontrados, por exemplo, em ctan.tug.org (US), ftp.dante.de (Alemanha), ftp.tex.ac.uk (UK). Se no est num destes pa a a ses, procure um arquivo perto de si. Encontrar outras referncias ao CTAN ao longo deste livro. Especiala e mente, apontadores para software e documentos que poder querer copiar a para o seu computador. Em vez de escrever endereos completos, escreverec mos apenas CTAN: seguido da localizao que deve visitar dentro da rvore ca a do CTAN. A Se deseja instalar o L TEX para utilizao no seu computador, visite ca CTAN:/tex-archive/systems. Se tiver ideias sobre alguma coisa que deva ser adicionada, alterada ou removida deste documento, por favor, avise-me. Estou interessado especialmente A em respostas dos que esto a aprender L TEX sobre quais as partes desta ina troduo fceis de compreender e quais as que devem ser explicadas melhor. ca a

Tobias Oetiker

Departamento de Tecnologia da Informao e ca Engenharia Electrotcnica, e Instituto de Tecnologia Federal da Suca A verso actual e original deste documento est dispon em a a vel CTAN:/tex-archive/info/lshort A verso portuguesa est dispon em a a vel CVS em http://natura.di.uminho.pt. Traduo por ca Alberto Simes albie@alfarrabio.di.uminho.pt o Departamento de Informtica da Universidade do Minho a

Conte do uObrigado! Prefcio a 1 Coisas Que Precisa de Saber 1.1 O Nome do Jogo . . . . . . . . . . . . . 1.1.1 TEX . . . . . . . . . . . . . . . . A 1.1.2 L TEX . . . . . . . . . . . . . . . 1.2 Bases . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1.2.1 Autor, Paginadores e Tipgrafo . o 1.2.2 Desenho do Formato . . . . . . . 1.2.3 Vantagens e Desvantagens . . . . A 1.3 Ficheiros L TEX . . . . . . . . . . . . . . 1.3.1 Espaos . . . . . . . . . . . . . . c 1.3.2 Caracteres Especiais . . . . . . . A 1.3.3 Comandos L TEX . . . . . . . . . 1.3.4 Comentrios . . . . . . . . . . . a 1.4 Estrutura do Ficheiro . . . . . . . . . . 1.5 Uma Sesso de Edio T a ca pica . . . . . . 1.6 O Formato do Documento . . . . . . . . 1.6.1 Classes de Documentos . . . . . 1.6.2 Pacotes . . . . . . . . . . . . . . 1.7 Ficheiros que provavelmente encontrar a 1.7.1 Estilo de Pginas . . . . . . . . . a 1.8 Grandes Projectos . . . . . . . . . . . . 2 Escrever Texto 2.1 A Estrutura de um Texto . . . . . . . . 2.2 Quebras de Linha e Quebras de Pgina a 2.2.1 Pargrafos Justicados . . . . . . a 2.2.2 Hifenizao . . . . . . . . . . . . ca 2.3 Texto j Feito . . . . . . . . . . . . . . . a 2.4 S mbolos e Caracteres Especiais . . . . . iii v 1 1 1 1 2 2 2 3 4 4 5 5 6 7 7 10 10 10 12 14 15 17 17 19 19 20 21 22

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

. . . . . .

. . . . . .

. . . . . .

. . . . . .

. . . . . .