Σάββατο, 20...

Click here to load reader

  • date post

    29-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    220
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Σάββατο, 20...

  • 1

    , 20 2007

  • 2

    Sobreviver a um relacionamento pode se

    constituir uma verdadeira arte.

    H pessoas que se tornam verdadeiros espinhos

    na vida efmera, inslita e transitria do outro.

    O casamento institudo no Jardim do den

    para ser eterno, ao longo da historicidade

    humana, com o aplicativo das regras do Direito

    Humano, tem se deformado em suas bases.

    No to fcil se manter casado, mas ,se tomado

    um gole do vinho da tolerncia ser, com certeza,

    possvel.

    No custa tentar!

  • 3

    Prefacio

    HH cerca de cinco sculos antes do nascimento de Jesus Cristo, um filosofo grego dissera

    que o casamento duas almas que habitam um s

    corpo.

    O fato que, na atualidade do terceiro milnio, a

    manuteno do status do casamento tem se constitudo

    uma verdadeira incgnita.

    Difcil?

    No!

    A receita ; nada mais, nada menos do que

    tolerncia...

    Veja-se nas paginas deste e.book.

  • 4

    Sobrevivendo ao relacionamento Yoseph Yomshyshy.

    I

    A incgnita do fim!.

    A arte de se relacionar o maior segredo da vida humana no retirada no julgamento do Jardim do den.

    Diz-se e verdade que o fim de um

    relacionamento via de regras, traumatizante; - ruim. E

    ruim para os dois lados...

  • 5

    Verdade ... sofrem os dois personagens.

    Eu diria:... [Aquele que termina concebe a

    conscincia pesada pelo simples fato de provocar o

    sofrimento de outrem, contudo, no estou impondo

    obrigatoriedades, a vida assim... ningum de

    mingem.].

    Filhos no so e nunca foram propriedades de

    seus pais, pais no foram e nunca sero donos de seus

    netos, maridos possuem as esposas, apenas, pelo lado

    do amor eros, do grego e ningum sobrepuja a

    ningum... [ um erro o se agir dessa forma.].

    Se isto for verdade e o ; aquele que pe o ponto

    final no relacionamento no necessita estabelecer o foro

  • 6

    do julgamento dentro de sua prpria mente, pois, de

    acordo com os explicativos acima, o relacionamento no

    se caracteriza pela posse ou pela propriedade, mas, sim;

    pelo respeito. No entanto, aquele que se v rejeitado

    sente o solo perder o atrito com os seus ps porque,

    simplesmente, sente-se arrebatado do mundo do encanto

    para o mundo da realidade e, assim, passa a habitar no

    planeta dor-de-cotovelo.

    Conta-se que, Greg Behrendt e Amiira rutola

    Behrendt escreveram When finish its because finished...

    picking up the pieces and overcoming a difficult

    situation... Quando termina porque acabou...

    Juntando os caquinhos e dando a volta por cima para

    tentar, pelo menos, levar o alento e o acalanto queles

    que entendem... [se o namoro, o noivado e o

  • 7

    casamento chegaram ao fim porque a vida no tem

    mais sentido.].

    Os autores argumentam que, ainda que seja difcil

    o se ver um relacionamento eivo de planos esgotarem-se

    na correnteza do rio da amargura e desaguar no imenso

    oceano do fracasso, isto ainda no o fim de tudo; no

    nenhuma hecatombe e no nenhum cataclismo que

    no possa ser suportado, no , enfim, o fim do mundo

    porque e ser sempre temporria e, se administramos

    com toda a nossa sabedoria, possvel que signifique

    mudana de vida... e , exatamente, isto que sugerem

    os Behrendt que foram consultores do seriado [Sex and

    the City (1996).].

    De conformidade com a avaliao dos autores

    existe, apenas, uma eventualidade pior do que levar um

    fora da pessoa que se ama... [a de se perder a

  • 8

    dignidade correndo-se atrs daquele (a) que era o

    grande amor de nossa vida e que, por alguma razo,

    desistiu de levar adiante a vida a dois.].

    Isto correto?

    Pode ser...

    Vejamos:

    - O casamento composto por duas almas

    que habitam um s corpo dizia, a seu

    tempo, o grande filosofo Aristteles, do

    grego

    A pergunta crucial :

  • 9

    - Isto vlido para o namoro ou qualquer

    modalidade de relacionamento de amor

    lbrico?

    Defenda-se... sim!

    Da no fazer sentido tentar reacender a fornalha

    de uma estrela incandescente que se apagou ao longo

    do interstcio da prpria vida e cuja reativao culminar

    por aniquilar pela queima ou a um ou a outro... isso

    a.

    Tudo dual. A luz e as trevas, o profano e o

    sagrado, o real e o irreal, o cncavo e o convexo, o

    concreto e o abstrato o bem e o mal, o divino e o

    demonaco; tudo na vida uma dualidade...

  • 10

    Demais disso, dentro dessa dualidade, at agora,

    lidamos com o bom e o ruim, entretanto, de agora em

    diante, prope-se adotar uma nova duplicidade de

    interpretaes quanto aos sentidos da vida... [o

    feminino e o masculino.].

    A notcia cruel consiste no afirmativo de que, para

    a ala feminina, so elas as mulheres os mais contumazes

    sofredores com o fim da relao; os homens por serem

    muito mais volveis e liberais tendem a sofrer muito

    menos do que os representantes do chamado sexo frgil.

    Agora...

    Por oportuno, no se pode tirar o texto do

    contexto; ou se permanece no texto, ou se entrega ao

    contexto.

  • 11

    Partindo, ento, dessa premissa, dir-se-ia que

    quando imprime na tabua do seu corao a palavra

    [acabou], ela est convicta... [acabou e pronto.].

    Contudo, quando ela atingida pelos projeteis de sua

    prpria arma aqui denominada [surpresa], irremediavelmente

    detonada pelo namorado, noivo ou esposo, assumindo o

    leme do barco da incerteza, ela navega indiferente

    realidade pelas guas revoltas do oceano do contexto,

    ou seja, o que se est implcito e no dito no texto.

    Tal dualidade a tnica do trabalho da psicloga e

    terapeuta sexual, Margareth Reis, do Instituto H. Ellis.

    Os vendavais da queda livre assopram nos

    primeiros dias da separao, todavia, para que a

    sensao no se prolongue por inefveis meses ou

  • 12

    interminveis anos, torna-se primordial o levantar da

    cabea e a deciso de tocar a vida sem a outra parte.

    Segundo os autores de [When finish it is because

    finished... picking up the pieces and overcoming a

    difficult situation] o fato de passar sessenta dias sem

    tomar o telefone e ligar para o (a) ex... o qu?...

    namorado (a), noivo (a), marido ou mulher pode propiciar

    o equilbrio e sensatez, clareando as idias.

    O que fazer para chamar a ateno?

    Para chamar a ateno, uma das tticas

    empregada pelas mulheres, em maior escala do que os

    homens a de fingir que est doente e que, como se

    sabe, no a garantia de que o outro (a) v regressar ao

  • 13

    [status quo... ao estado de antes] e permanecer na

    relao.

    H, em pleno sculo vinte e um, um dito popular

    que infere:... [Pior a emenda do que o soneto.].

    Nesse caso, a emenda pode ser; realmente, pode

    ser pior do que o efeito do soneto e, se; caso, o tiro pode

    sair pela culatra, pois a outra parte pode adquirir o

    sentimento da pena e, como sempre, a demonstrao da

    fragilidade de um dos personagens do envolvimento

    ertico uma forma de chamar a ateno do outro (a) e

    gera um sentimento de culpa naquele que desfez o

    relacionamento... o que opinam pastores, psiquiatras

    e psiclogos!

    .

  • 14

    A este ponto cita-se outro provrbio popular da

    latinidade romana e emprestada ao dia-a-dia das lnguas

    neolatinas... [Errare humanus est!... Errar Humano].

    Eu digo, particularmente, mais:... [Errare humanus est

    sed sequere erranter inaceptabile est... Errar

    humano, mas seguir errante inaceitvel!].

    Portanto, uma reaproximao pode confundir

    sobremaneira a cabea daquele que estiver bem mais

    fragilizado e acredita que est recuperando o outro diante

    da demonstrao aparente de preocupao com o real

    estado a outra parte; isto o que alerta os

    psicoterapeutas de todo o mundo.

    Concluiu-se...

  • 15

    Todo aquele que pretenda entrar em uma fase

    nova, reestruturar a vida, se tornar diferente; da

    recuperao ps-separao pode encerrar a antera se

    tentar recuperar aquilo que no recupervel.

    Isto verdade...

  • 16

    Sobrevivendo ao relacionamento Yoseph Yomshyshy.

    II

    A incgnita da separao.

    O relacionamento do ser humano como duas metades de uma semente, se uma delas se separar no h como gerar outra arvore; quanto ao ser humano no h como gerar amizade, amor, essas eventualidades que do sabor vida.

  • 17

    CCComo se sabe; superar o fim de um

    relacionamento uma incgnita, alis; a prpria

    superao uma incgnita, ainda que as duas

    eventualidades possam ter a mesma razo.

    Por conseguinte, falando-se sobre fim de um

    relacionamento e sua antera rejeio necessrio que

    se afirme, obrigatoriamente, os dois no tm o mesmo

    sentido e, por isso, infere a Revista Da Hora, do Jornal

    Agora, de sete de janeiro do anno domini dois mil e

    sete:... [A Assistente Social Izabela Manjeiro, de vinte

    e quatro anos, sente que algo ficou entalado em sua

  • 18

    garganta. O seu namoro de oito anos e seis m